Buscar

Doentes Oncológicos: Nutrição




O cancro é um vasto conjunto de doenças caracterizadas por um crescimento anormal e descontrolado de células, que se acumulam formando massas, as quais designamos por tumores malignos, por terem a capacidade de se disseminar e invadir outras partes do corpo.

É umas das principais causas de morbilidade e mortalidade, maioritariamente em países desenvolvidos, com um grande impacto no bem-estar físico e psicológico dos doentes.

A doença e o tratamento podem alterar diversas funções fisiológicas, entre elas o estado nutricional. A nutrição e o bom estado nutricional são fatores determinantes para o controlo do desenvolvimento da doença, aumento da função imunitária e redução das complicações, controlo da sintomatologia e recuperação.

Malnutrição


A malnutrição é um padrão nutricional associado à doença oncológica, mais de metade dos doentes apresentam perda ponderal de peso e algum grau de desnutrição, que se caracteriza por uma acentuada deficiência energética, proteica e de vitaminas.


Pode surgir por diversos fatores, como consequência do tumor ou do próprio tratamento, entre eles:

  • Náuseas e vómitos;

  • Úlceras orais;

  • Alteração do paladar;

  • Depressão;

  • Falta de apetite;

  • Alterações do trato gastrointestinal (diarreia, obstipação).


A diminuição de ingestão de alimentos leva a um desequilíbrio das necessidades nutricionais, com consequente perda proteica e de massa muscular podendo surgir sintomas como atrofia muscular, cansaço, fraqueza e fadiga física e mental. De forma a minimizar os riscos associados deve ser feita a avaliação e o acompanhamento do estado nutricional de cada doente.



Avaliação e intervenção nutricional


A avaliação nutricional consiste num conjunto de ferramentas, nos quais é analisado o índice de massa corporal, a perda de peso e o consumo de alimentos, de forma a garantir um acompanhamento especializado e a satisfação das necessidades do doente. Tem como objetivo melhorar o balanço energético e proteico, assim como o fornecimento de vitaminas e minerais.

Deve ser iniciado numa fase precoce da doença como complemento da dieta normal e pode consistir em alimentos fortificados, suplementos, nutrição entérica e nutrição parentérica.

Este acompanhamento deve ser feito por uma equipa especializada, ou por um profissional habilitado, da qual o seu farmacêutico e farmácia fazem parte.



Suplementação


Deve ser adequada às necessidades de cada doente, e corresponde a utilização de suplementos nutricionais que fornecem energia, proteínas, vitaminas e minerais.

Permitem e ajudam na:

  • Recuperação do peso corporal;

  • Melhoria da qualidade de vida e diminuição de comorbilidades;

  • Aumento da massa muscular;

  • Aumento da capacidade de reabilitação.

Podem ser encontrados na sua farmácia na forma de pudins, líquidos e pós e diferem na composição em hidratos de carbono, proteínas, fibra, glúten e sabor.

A Nestlé (Resource) e Fresenius kabi (Fresubin) são duas marcas bastante representativas deste tipo de suplementação que lhe podem oferecer diversas soluções.



Outros adjuvantes


Como vimos existem diversos sintomas que podem influenciar a malnutrição, como tal poderá procurar ajuda junto da sua farmácia de forma minimizar os sintomas e as suas consequências como a utilização de antidiarreicos, laxantes, antieméticos e hidratantes bucais.





Conte com a ajuda do seu Farmacêutico.

Acompanhe o blog do Grupo Amorim Saúde e esteja a par de todas as novidades/esclarecimentos que temos para si!

397 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo